• JN “esqueceu” de dizer que Petrobrás se valorizou 7 vezes desde 2002

    No Blog da Cidadania

    A edição do Jornal Nacional de segunda-feira, 9 de fevereiro, gastou 4 minutos e 49 segundos para dizer que, de 2008 a 2015, a Petrobrás, devido ao que os famigerados “especialistas” da Globo chamaram de “erros de gestão”, perdeu cerca de ¾ de seu valor de mercado, passando de 510 bilhões de dólares há 7 anos para 116 bilhões de dólares hoje.

    Uma dessas especialistas também se deu ao desfrute de falar que a empresa teria a maior dívida do mundo, estimada em 261 bilhões de dólares.

    Leia mais em JN “esqueceu” de dizer que Petrobrás se valorizou 7 vezes desde 2002


  • Momentos decisivos e urgentes!

    O Cafezinho

    Me digam qual o sentido de uma iniciativa do Estado (no caso, o Judiciário e o Ministério Público) onde a questão social e econômica é simplesmente ignorada?

    Não é uma questão menor.

    A Operação Lava Jato, tocada com uma incrível irresponsabilidade, está paralisando as duas atividades econômicas mais importantes do país: a construção civil e a indústria do petróleo.

    Neste sentido é que devemos cobrar o Ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, e a presidenta Dilma.

    É preciso fazer uma chamada ao bom senso.

    Leia mais em Momentos decisivos e urgentes!.


  • Boletim da falta d'água em São Paulo

    Opera Mundi

    A oito dias do segundo turno das eleições presidenciais no Brasil, Opera Mundi publica neste sábado (18/10) duas entrevistas com os principais formuladores das propostas de política externa dos candidatos Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB).

    Além de fazerem um balanço dos 12 anos de diplomacia dos governos Dilma e Lula, Marco Aurélio Garcia e Rubens Barbosa abordam temas em comum como o Mercosul, a postura brasileira frente a intervenções militares, a relação com Cuba e o diálogo com os países do Oriente Médio.

    Entre as divergências dos dois projetos está a avaliação sobre a importância de acordos de livre-comércio. Enquanto Aécio e Barbosa defendem o aumento da aplicação desse tipo de tratado, Dilma e Garcia consideram que a melhor alternativa é seguir negociando em conjunto com outros países sul-americanos.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 770 outros seguidores

  • Principais posts & páginas

Crianças registram incompetência do Poder Público

Em 2014 as enchentes em Queimados foram alarmantes.

O jornal O Dia registrou o prejuízo que afastou três mil alunos das salas de aula por causa das enchentes.

Parecia que a catástrofe poderia resultar em boas políticas que minimizassem o problema. Ledo engano!

Em dezembro de 2014 e janeiro de 2015 os problemas se repetiram. O que foi feito? Saneamento dos Rios Abel e Camorim. No Blog da Prefeitura registraram o feito como uma das mais importantes obras do governo:

Depois do Rio Abel, Queimados agora terá Rio Camorim canalizado e urbanizado

Felipe Carvalho – Após realizar a maior obra de canalização da história do município de Queimados, a do Rio Abel, o Prefeito Max Lemos lançará nesta quinta-feira, 20, ao lado do vice-governador e coordenador de infraestrutura do Estado, Luiz Fernando Pezão e do Secretário Estadual de Obras, Hudson Braga, a partir das 19h, no Salão de Festa Elite (Rua Nilton, Lote 40 – Vila Camarim – Fanchem) uma frente de obra ainda maior. Trata-se da canalização e urbanização do Rio Camorim.

De fato a obra foi importante. Melhorou o aspecto estético da cidade, mas isto não resolveu o problema da enchente e a razão é simples: a obra só pode ser feita dentro dos limites da cidade. Fora dela, ou seja, já em Nova Iguaçu, as obras não avançaram. Neste ponto há um estrangulamento do rio dos Poços, rio que recebe as águas do Rio Abel e Rio Camorim, oriundos de Queimados. Uma vez não encontrando passagem para toda a água que flui com mais facilidade nos Rios Abel e Camorim começam a encher e isto continua afetando o centro da cidade.

As crianças registraram por celular a enchente em um bairro que fica não mais que 1,5 km da Praça Nossa Senhora da Conceição, no Centro da cidade. Vejam as imagens:

Em 2013, num debate via Facebook o secretário de Urbanismo e Meio Ambiente prometeu discutir uma solução definitiva assim que os problemas emergenciais cessassem, mas ficou apenas na promessa. O problema das enchentes continuam porque o a solução não está no escoamento das águas de chuva, mas na nossa capacidade de retê-la antes de chegar aos Rios.

Infelizmente o poder torna as pessoas arrogantes e não percebem que soluções simples e com a ajuda dos munícipes os problemas seriam minimizados se não definitivamente resolvidos.

O tolo debate sobre a saída de militante do PT

Isabelle Truda foi uma militante aguerrida do PT e se destacou nas redes sociais durante a campanha. Suas posições políticas a levou a angariar algumas centenas de seguidores. Alguns para criticar o PT outros para ajuda-la em defesa do partido.

Entretanto ela ganhou destaque nas Redes Sociais (Facebook e Twitter) e no site Diário do Centro do Mundo quando anunciou sua desfiliação.

Logo após sua publicação muitos dos seus seguidores, e seguidores de seus seguidores, aproveitaram a oportunidade para iniciar um tolo debate sobre a subjetividade de ficar ou não em determinado ambiente de acordo com sua visão de mundo.

Ora, se uma pessoa decide que o melhor para ela é atravessar para o outro lado da rua que mal há nisso?
Mas aproveitadores não se importam com a subjetividade alheia, mas com a própria.

Foi assim que Luciana Genro mostrou o quanto pode ser medíocre ao convidar publicamente os insatisfeitos do PT para compor o nanico Psol.

Há mal em convidar uma pessoa para compor os quadros do partido? Não, se feito de maneira correta, como pessoa-a-pessoa. Tivesse Luciana Genro convidado Isabelle Truda pessoalmente para compor os quadros do Psol e de maneira reservada, somente entre as duas, teria sido uma atitude politicamente correta. E pode fazer isto com qualquer pessoa, inclusive com quem não manifestou desagrado com a reforma ministerial realizada pela presidenta Dilma Rousseff.

Mas o oportunismo lhe cegou a razão e preferiu a mediocridade da publicização política.

O que leva o debate sobre a saída de Isabelle Truda do PT para baixo são os comentaristas não qualificados. Estes já possuem posição a favor ou contra e age de maneira irracional. Poucos foram os que procuraram argumentar em favor de Isabelle e de sua decisão. Valter Pomar, liderança importante e membro da Direção Nacional do PT pediu que ela reconsiderasse apelando para mudar o PT por dentro, porque muitos de nós ficamos insatisfeitos com a nomeação de ícones do conservadorismo e até com a permanência de Zé Eduardo Cardoso, um ministro completamente inútil na pasta da Justiça a meu ver, mas construímos uma história que trouxe avanços para o Brasil nesses 12 anos de governo petista.

Não podemos esquecer que foi este partido quem incluiu mais de 40 milhões de pessoas. Foi este partido quem começou uma grande revolução acabando com as palafitas nas margens dos rios das grandes capitais garantindo moradia digna para milhões de pessoas. Sim, foi o PT que levou milhares de pessoas ao emprego garantindo-lhes renda para uma vida digna.

O que Valter Pomar tentou fazer foi manter a militante no partido para evitar que este mesmo partido não caia desgraçadamente nos braços dos capitalistas conservadores que não permitiam um avanço das classes mais pobres, embora tenha se assanhado com a nomeação de Joaquim Levy, Kátia Abreu, Gilberto Kassab entre outros e mantido Zé Eduardo Cardoso na pasta da Justiça.

Então apareceram dezenas de comentaristas que se aproveitaram da situação para fingindo apoiar a decisão de Isabelle Truda atacar o PT. Outros que não sabem e, portanto, não deveriam tentar defender o PT porque não o fazem de maneira respeitosa acabam por atacar a pessoa Isabelle Truda por uma decisão legítima e pessoal e da maneira mais esdrúxula que lhe convém.

É um debate tolo. Cada pessoa tem o direito de escolher o seu próprio caminho.

O debate deveria ser acerca das ideias de maneira racional e ponderada.

Infelizmente vimos pessoas que atuam como se advogados/as dela fossem e cometem asneiras das mais absurdas ao defendê-la. Desnecessário porque ela não tem que se defender ou se justificar. É uma escolha pessoal. Se quero conversar com ela acerca de sua possível permanência, assim como aqueles que a desejam tê-la como afiliada em sua instituição partidária, devemos fazer em particular, sem expor publicamente a pessoa Isabelle Truda ou qualquer outro militante que fizer igual manifestação.

MPL convoca para tentativa de golpe em 2015

Movimento tem alvo diferente do anunciado

Movimento tem alvo diferente do anunciado

MPL, ou Movimento do Passe Livre, convocou manifestações para janeiro de 2015 contra o aumento de passagem permitida pela prefeitura de São Paulo. Parece legítima a causa, não parece? Pois é, mas só parece.

As tarifas dos ônibus vão aumentar para R$ 3,50. O trabalhador assalariado com registro em carteira continuará a pagar o equivalente a 6% dos seus rendimentos, o mesmo que pagaria se a passagem fosse 1, 2 ou 5 reais.

Chamo a atenção para isto porque ao beneficiário o valor da tarifa dos transportes não será aumentada. Isto só ocorre quando o seu salário for igualmente aumentado; por exemplo: O trabalhador que ganha salário mínimo de R$ 729 lhe é descontado o valor de R$ 43,74. Quando o salário mínimo for aumentado para R$ 790 previstos para 2015, ele passará a pagar R$ 47,40 de custeio de transporte independente do valor da passagem. E se a passagem fosse aumentada para R$ 7? Sem problemas, ele continuaria a pagar os R$ 47,40.

Então, quem paga o restante?

O Vale-Transporte será custeado:
– pelo beneficiário, na parcela equivalente a 6% (seis por cento) de seu salário básico ou vencimento, excluídos quaisquer adicionais ou vantagens;
– pelo empregador, no que exceder à parcela referida no item anterior.

Então para que a manifestação convocada pelo MPL?

É um movimento político? É. Todo movimento é político e este tem um alvo: o PT.

Alegam os líderes do movimento que é uma causa justa. Alegam sobretudo que estão defendendo uma minoria que não tem carteira assinada e, portanto, não são beneficiários do Vale Transporte. O argumento seria válido se o foco não fosse o aumento dos ônibus, mas de todo o sistema de transporte: vans (peruas), trens, metrô e ônibus.

Acontece que o MPL não está preocupado com o aumento dos outros meios. Lhes interessam apenas os ônibus cuja concessão é municipal e, portanto, o aumento é permitido pelo prefeito Haddad, do PT, para a cidade de São Paulo. Nada sobre o metrô; nada sobre os trens. Sobre as vans (peruas) então… E o prefeito Haddad estabeleceu tarifa zero para todos os estudantes da pré-escola ao ensino universitário facilitando, assim, a vida de milhares de estudantes paulistas.

26/12/2014 18h19 – Atualizado em 26/12/2014 20h14
Haddad anuncia passe livre para estudantes e tarifa de ônibus a R$ 3,50
Câmara municipal teria sido comunicada da mudança nesta sexta-feira.
Tarifa de ônibus vai ser reajustada a partir de 6 de janeiro, diz Prefeitura.
Do G1 São Paulo
A Prefeitura de São Paulo informou, por meio de nota à imprensa, nesta sexta-feira (26), que vai instituir o passe livre para estudantes de escolas públicas e para universitários do Prouni, Fies e cotistas e que a tarifa de ônibus vai ser reajustada de R$ 3,00 para R$ 3,50 a partir de 6 de janeiro.

Nota-se, assim, que o objetivo é resgatar aquele movimento fascista de junho de 2013 que levou baderneiros a saquearem lojas, quebraram bancos e o patrimônio público.

Não é possível que os trabalhadores circulem apenas de ônibus, sobretudo quando vimos os trens do metrô abarrotados de gente em toda a malha metroviária. Além disso as contas não batem em favor dos trabalhadores. Parece que o MPL está saíndo em defesa dos empregadores, porque para eles há um aumento de custo. Querem que eu desenhe? Vamos lá!

Um trabalhador simples, de salário mínimo (R$ 729), cujo desconto em folha é de R$ 43,74, e que se vale de duas conduções de mesmo valor (R$ 3,00), trabalhando 20 dias por mês. O custo de passagem será de R$ 12 por dia, que multiplicado por 20 dias somam-se R$ 240. Mas o trabalhador só paga R$ 43,74. Quem paga os outros R$ 196,26? O Empregador.

Agora, quando a passagem aumentar para R$ 3,50 a parcela do trabalhador continuará a mesma de R$ 43,74, mas a do empregador aumenta para R$ 236,26, porque o custo total aumentou para R$ 280/mês. Então o MPL está saindo em defesa de quem?

O entendimento que tenho é que o MPL faz parte de um pacote a serviço da velha elite que se desespera com o PT no 2013bpoder e lhes prestam serviço para provocar o caos urbano e, assim, atingir as administrações petistas (de Haddad e de Dilma Rousseff) que levariam os parlamentos a discutirem um possível impeachment de ambos. É mais uma tentativa de dar o golpe já que nas urnas se mostram incompetentes. Se não ganham no convencimento tentam na força, na marra.

Vocês se lembram do que foi aquele movimento fascista de 2013. Ele ressurge agora em janeiro com a máscara das causas dos trabalhadores, mas que não passa de mera cortina para encobrir seus reais objetivos.

A Campanha Oportunista Contra o PT

Quer conhecer os covardes viva um momento de fraqueza.

Dilma Rousseff desagradou a esquerda indicando nomes como o de Joaquim Levy para a Fazenda e o de Kátia Abreu para a Agricultura.

O PT, ou parte dele, também se manifestou contrário, ainda que pese todas as explicações de Dilma para suas decisões. O fato é que há no PMDB muita gente e algumas provavelmente mais capacitadas que Kátia Abreu para assumir o Ministério da Agricultura. Até março de 2014 era Antonio Andrade, do mesmo PMDB, e não houve uma só voz na esquerda para falar contra, pelo menos não se tomou conhecimento dessa voz, se existiu.

Levy é ligado ao psdb e à Fernando Henrique Cardoso. Isso foi um golpe baixo em nós petistas convictos porque ficou parecendo que ganhamos, mas perdemos, como disse o mineiro derrotado Aécio Neves.

Isso desagradou a petistas e à oposição, mesmo aquela que se diz de esquerda [mas se alia à direita para combater um governo trabalhista] e então surgem os oportunistas. Luciana Genro, mostrando como pode ser medíocre, achou que podia cooptar petistas para o Psol. Pode até ser que alguns apareçam por lá, mas tal como eles, estes nunca foram petistas de fato.

Eu sou do PT desde 1985. Dentro das minhas limitações políticas ajudei o partido a chegar ao governo federal em 2003 com Luis Inácio Lula da Silva. Foi um governo brilhante do ponto de vista social. Brasileiros saíram da miséria; passaram a ter o que comer pelo menos duas vezes ao dia; muitos deixaram as palafitas e foram morar em casas dignas; foram criados empregos suficientes para atrair inclusive estrangeiros e chegamos ao ponto de eleger sua sucessora Dilma Rousseff.

Dilma nunca foi e jamais se aproximará da capacidade política de Lula. Jamais terá a sensibilidade social que Lula tem e seu governo jamais se aproximará do que foi o governo Lula. Mas se não Dilma quem seria? Olhem o quadro e me digam sinceramente se havia outro candidato na disputa que pudesse governar o Brasil de acordo com nossa visão de mundo.

De xiitas de esquerda à xiitas de direita passando por suspeito de ligação com o tráfico de drogas, como denunciou o policial Lucas Arcanjo [vídeo abaixo]. Dilma era a opção! Não havia outro/a.

Então os oportunistas aparecem porque o momento é delicado. Muita gente não sabe, mas no PT é assim que funciona. Se não estamos satisfeitos temos o DIREITO ESTATUTÁRIO de nos manifestar, inclusive publicamente, contra qualquer decisão de governo em nome do PT.

Vimos algumas manifestações do tipo “to pulando fora”. Mas estes nunca foram petistas de fato. Estavam no PT, mas quem ajudou a construir a nossa história, se está chateado com as decisões da presidenta como eu, vamos nos manifestar contrários, mas não vamos abandonar a história que ajudamos a construir. É simples assim.

Os oportunistas passarão, nós…

O debate acerca do ministério de Dilma Rousseff

Ministros 2014

Ministros 2014

Eu vou começar esse artigo citando o cientista político Wanderley Guilherme dos Santos porque o entendimento do conceito de Democracia ainda está por ser devidamente entendido por milhões de pessoas que gritam por Democracia como se ela fosse algo físico que se pudesse comprar numa loja de departamentos e não é. É uma construção dialógica que emerge fundamentalmente pelo RESPEITO ao outro e à opinião que dele emana. Então diz Guilherme citando John Stuart Mill:

[…] opiniões minoritárias devem ser protegidas por duas razões principais. Primeiro, porque não existe um lugar social suficientemente privilegiado para permitir a algum grupo – no caso, o grupo minoritário – apreender a totalidade das implicações de uma escolha de políticas específicas. Segundo, porque, admitindo-se a hipótese de que as maiorias tendem a ser inercialmente conservadoras, a opção por novidades benéficas à humanidade será, por definição, minoritária, e se às minorias não for garantido o direito de operar conforme a inovação sugerida e tornar-se maioria – desde que isso não traga reais prejuízos a terceiros -, a sociedade tende a estagnar-se.

(Santos, Wanderley Guilherme dos. Governabilidade e democracia natural (p. 84). Rio de Janeiro :FGV, 2007.)

O processo eleitoral de 2014 foi árduo para o governo e um ataque frontal à Democracia. Vi pessoas indo às ruas dizer que o PT no governo lhes subtraiu direitos, mas não deixaram claro quais direitos lhes foram subtraídos. Maioria das pessoas que votaram contra o governo basearam suas convicções por meio da imprensa brasileira que seletivamente atacava – e ataca – o governo tentando fazer crer que o PT inventou a corrupção no poder público ignorando solenemente a privataria tucana, o cartel do Metrô de São Paulo, as falcatruas e a crise na Sabesp e tantas outras atrocidades cometidas pelo psdb em qualquer nível de governo. Em Itaguaí, Rio de Janeiro, o prefeito Luciano Mota, do psdb, desviava cerca de 10 milhões mensais dos cofres públicos, e nem assim mereceu destaque na imprensa nacional. Se fosse do PT seria motivo para estar em evidência enquanto o prefeito não fosse devidamente preso e seus bens confiscados, ainda assim seria lembrado sempre para não deixar cair em esquecimento. Como é do psdb, o resto do Brasil nem sabe que o prefeito adquiriu uma Ferrari, um helicóptero e muitos outros bens com o dinheiro do tesouro público.

Mas não só a imprensa, o judiciário também ajuda a criminalizar o PT. O juiz federal Sérgio Moro, com fortes ligações com o psdb não deixa por menos. Vaza seletivamente para a imprensa aquilo que pode atingir o PT e escamoteia qualquer coisa que tenha penas tucanas envolvidas. Esse conluio imprensa-judiciário tem dado certo para afetar o PT e assim o partido viu sua bancada na Câmara e no Senado diminuírem obrigando um rearranjo do governo para garantir a governabilidade para os próximos quatro anos de administração petista. O problema é que alguns nomes desagradaram profundamente a esquerda que foi fundamental para a eleição de Dilma Rousseff, do PT, e o ícone da discórdia atende pelo nome de Kátia Abreu, do PMDB. Por que?

SENADORA KÁTIA ABREU ATACA SALÁRIO MÍNIMO E DEFENDE PERDA DOS DIREITOS TRABALHISTAS

Em discurso, Kátia Abreu volta a atacar CPMF

A conservadora Kátia Abreu pressiona governo e ataca MST

Senadora Kátia Abreu é denunciada por trabalho escravo, crime ambiental e grilagem de terras

Fiscalização flagra trabalho escravo em fazenda de irmão da senadora Kátia Abreu

Resumindo: Kátia Abreu é um ícone de tudo aquilo que o PT luta para abolir no Brasil. É bem verdade que ela apoiou Dilma durante a campanha, pelo menos nos panfletos. Mas quem de fato ganhou com a campanha que ela fez? Foi Dilma com a imagem de Kátia ou foi Kátia com a imagem da Dilma? O fato mais agudo e que importa é o que ela fez no Senado enquanto senadora. Sempre foi oposição ao governo e seus discursos sempre foram em defesa da ideologia que combatemos.

O grande problema dessa discussão está nos extremismos. Ora, Quem aceita esta indicação em nome da governabilidade atacam àqueles que a criticam ainda que de dentro do próprio PT sugerindo, inclusive, deixarem o partido e migrarem para a oposição! Caramba!!! E o meu direito de crítica expresso no Estatuto do PT? Para fazer uma crítica ao que penso estar sendo conduzido de maneira errada tenho que deixar o partido? É obvio que encontramos oportunistas que tiram proveito da situação para se fazer notada, como a ex-candidata do Psol, Luciana Genro, que escreveu em seu twitter “@lucianagenro: Convido os militantes/eleitores de Dilma que ñ se sentem representados pela atual composição do governo que se somem à oposição de esquerda”. Oposição de esquerda? Como assim oposição de esquerda aliada ao Democratas, ao psdb, à mídia e ao judiciário?!

Ora! Quem é do PT e não está satisfeito tem que se manifestar independente do que pensam os acomodados. Por que digo isto? Até março de 2014 o ministro da agricultura era Antonio Andrade, também do PMDB e contra ele não nos levantamos. Então o governo não tem que acatar pura e simplesmente os nomes que lhes são apresentados pelos partidos. Ele pode – e devia! – contrapor.

“Olha, Kátia Abreu temos divergências. Dá pra indicar outro?”

Impossível que o PMDB não tenha quadros que pudessem substituir Kátia Abreu. Mas o governo aceitou a indicação sem questionar e, portanto, causando uma revolta interna. Isto não significa que os “revoltados” tenham que deixar o partido. Não, ao contrário. Valter Pomar, uma liderança importante dentro do partido, sobre um comentário de uma internauta que manifestou sua saída do PT via Facebook, respondeu dizendo:

Minha experiência desde 1995 é que os que saíram do PT criticando (em geral corretamente) o PT pela esquerda ficaram numa encruzilhada: ou aliar-se ao PT contra a direita ou aliar-se a direita contra o PT. Mas se é esta a encruzilhada (e enquanto for esta a encruzilhada), então a postura mais adequada é continuar no PT, disputar o PT, inclusive lutar para que o PT mobilize contra políticas incorretas que venham a ser adotadas.

E lembram de Santos na introdução desse artigo?

Nós que manifestamos insatisfação com as decisões de Dilma Rousseff podemos até ser minoria, mas temos o legítimo direito de nos insurgir e tentar reverter a situação, ou seja, nos tornar maioria adquirindo o poder de influenciar nessas decisões. E me desculpe a maioria, mas quem não entende de Democracia é a sua intolerância.

Dilma continua presidente

dilma

Às 20h e 46m já se conhecia quem governaria o Brasil nos próximos quatro anos. Dilma foi matematicamente eleita e às 22h 34m o resultado final ainda não era conhecido, mas apontava Dilma com 51,64% dos votos válidos, ou em números concretos 54.495.915 votos. Podemos comemorar sim, mas não podemos deixar de lado questões que nos marcam essas eleições.

O PT precisa repensar sua prática. Sua política deu comida a quem tinha fome; casa para quem morava em palafitas; melhorou o salário de quem é trabalhador; todos os empresários ganharam dinheiro porque a economia bombou nesses anos de PT; os banqueiros ganharam dinheiro; quem não viajava nem de ônibus ta viajando de avião etc.; mas o PT não politizou essa massa, sobretudo essa meninada que foi pra universidade por conta do ProUni, do Sisu, do Fies e tal. Temos que sair dos gabinetes e discutir política no dia-a-dia com toda essa gente.

Dilma precisa ocupar os espaços em cadeia de rádios e TVs que lhe permite a Constituição Brasileira e dizer o que está fazendo, como está fazendo e quem se beneficia com o que está sendo feito. Precisamos de uma política de comunicação que não fique refém da Veja, Globo, Estadão, Folha de São Paulo e Rede Globo. A oportunidade foi garantida com a eleição do amor e da verdade.

Não é possível que um Estado como Pernambuco não tenha um único deputado federal eleito pelo PT. No Brasil perdemos 10 cadeiras que foram ocupadas pelos reaças do PSDB. Isto nos indica uma leitura imediata: nossas práticas parlamentares. Esse negócio de fazer Diretórios Municipais com maioria esmagadora de assessores de parlamentares institucionalizou o partido e deixamos a política dos movimentos sociais de lado. Aquela discussão política esclarecedora das ruas, nas esquinas, nos Conselhos, Associações, Sindicatos etc. ficaram esquecidas pelo pessoal do gabinete que estava fazendo o que era certo no conceito institucional, mas isto nos afastou do processo politizador das massas.

Muitos virão dar suas justificativas para derrotas históricas como no Rio Grande do Sul e em Mato Grosso do Sul, mas não podemos deixar de admitir que falhamos nesses doze anos de PT no governo federal. Ficamos acomodados e achamos que com um salário melhor, estudando em universidades privadas com o ProUni ou nas Universidades Federais construídas pelo PT e morando em uma casinha arrumadinha pelo Minha Casa Minha Vida já seriam suficientes para politizar o povo, mas não foi. Temos que repensar isto. Este é o novo desafio imposto ao Partido dos Trabalhadores.

Educação: Aécio tergiversou.

O debate entre candidatos serve apenas para que o eleitor ou a eleitora conheça melhor as pessoas que estão pleiteando o mais alto cargo eletivo do país, mais que isto, serve para conhecer o modelo de governo que cada um pretende implantar caso seja eleito no próximo dia 26/10.

De Dilma já conhecemos muito. A oposição extremamente frágil e uma massa humana despolitizada tem apenas um argumento para votar no candidato do PSDB: Tirar o PT do poder. Por incrível que pareça não se conhece uma única e razoável proposta de ação do candidato caso ele seja eleito. Ninguém sabe dizer o que ele pensa para a segurança pública porque nos debates ele faz criticar o modelo de segurança da presidenta Dilma, mas não apresenta o seu modelo. O que diz são ilações genéricas que em nada esclarece. Ao contrário, ao eleitor atento, confunde muito.

No debate de ontem, entretanto, o início do terceiro bloco me chamou a atenção. Dilma faz pergunta ao candidato do psdb sobre a educação de responsabilidade do governo federal, ou seja, o ensino universitário. Quem tem mais de 18 anos sabe que antes do PT para se ingressar na universidade o aluno que deixava o Ensino Médio ingressava quase imediatamente num cursinho pré-vestibular ou a continuidade de seus estudos estava comprometida. O modelo PSDB de pensar o Ensino Universitário é privado. Pessoas ligadas ao ex-governador já manifestaram o desejo de privatizar o Ensino Universitário, por isso Dilma diz que o modelo PSDB sucateou as Universidades do país.

Antes de comentar mais sobre o que disse Aécio chamo o amigo ou a amiga leitor/a a assistirem ao vídeo para melhor entendimento – clique na imagem para assistir:

DEBATE30

Não sei se prestaram atenção, mas o candidato não responde a pergunta sobre o ensino superior, apenas comenta, como tem feito sobre qualquer assunto, que tudo vai continuar, mas vai ser aprimorado. Aprimorado como? Privatizando?

Ao invés de responder sobre o assunto abordado Aécio tergiversa e diz que vai investir em creches, embora o atual governo esteja fazendo isto na medida em que prefeitos façam convênios com a União, porque a responsabilidade do Ensino Fundamental, incluindo aí a pré-escola, é dos municípios. Como Dilma deixou claro, a União só pode agir quando há interesses convenientes dos municípios. Aécio falou também do Ensino Médio e que deixou as Minas Gerais com o melhor modelo de educação para o país. Aí foi dose! Basta perguntar a qualquer mineiro sobre educação e vocês vão conhecer Aécio Neves e seu choque de gestão tucana, mas em nenhum momento deixou claro sua política para o Ensino Universitário, justo esse que de fato é de responsabilidade do governo federal.

Ora! Em 2012 o Democratas, partido aliado de Aécio Neves, juntamente com a Confederação Nacional dos Estabelecimentos de Ensino (Confenem) e a Federação Nacional dos Auditores Fiscais da Previdência Social (Fenafisp) e o apoio do PSDB foram ao STF com uma ação para barrar o ProUni, o maior programa universitário para pessoas que não encontravam condições de frequentar uma universidade pública. Em maio de 2012 o STF julgou improcedente a ação garantindo assim o direito de milhares de jovens estudantes do Ensino Superior.

A conclusão que se pode chegar é que sendo eleito Aécio vai arrumar um jeito de dar fim ao Programa Universidade Para Todos e certamente daria um fim ao ENEM para permitir que as instituições de ensino voltem a ganhar dinheiro com os cursinhos pré-vestibulares.

Jovens que estão terminando o Ensino Médio devem ficar atentos. Assistir ao vídeo outra vez e interpretar ipsis litteris o que pretende Aécio com sua proposta para o Ensino Superior ou seu futuro pode se perder em falácias tucanas.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 770 outros seguidores