• Chegou a hora da verdade, golpistas

    No Blog da Cidadania

    Imagino que poucos tenham sido os que perderam tempo de sono assistindo à encenação barata levada a cabo no Senado da República na madrugada desta quinta-feira, 12 de maio de 2016. Este blogueiro não esteve entre esse bando de crédulos, por óbvio. Pouco importou o que disse este ou aquele senador. As cartas estavam marcadas.

    Não aconteceu nada de relevante no Plenário do Senado. Todos sabiam que nada havia a esperar. Nenhuma defesa de Dilma, por mais brilhante que fosse, mudaria o rumo das coisas. Nenhuma acusação que coonestasse o que lá ocorria veio nos salvar da confirmação de que a democracia estava sendo violentada com requintes de crueldade – pela capa torturante de “legalidade” (mal) estendida sobre o processo de impeachment de Dilma Vana Rousseff.

    O impeachment, pode-se dizer, ocorreu sob amplo constrangimento dos seus autores, dos seus executores e da assistência no entorno.

    Leia mais em Gestão Dória será investigada por cárcere privado de servidores


  • A Justiça de Moro – Cláudia Cruz, inocentada. Já Marisa Letícia, nem depois de morta.

    O Cafezinho

    Por Bojonas Teixeira Marisa Letícia, submetida ao estresse extremo, sofreu um AVC e morreu. Os médicos são unânimes em que o ambiente de pressão, de perseguição e linchamento foi causa decisiva para essa morte. Mas, mesmo assim, Sérgio Moro não a absolveu. Os advogados pediram a absolvição dela após a morte. Mas ele não aceitou. Apenas decretou a “extinção da punibilidade”. Ou seja, manteve um espinho cravado sobre a alma dela, mesmo depois de morta. Perseguindo-a, com as fúrias da lei, mesmo no outro mundo. Mas e Claudia Cruz? Cláudia, foi absolvida.

    Marisa Letícia nunca teve conta na Suíça, não fez gastos de US$ 526 mil no cartão de crédito, ou seja, mais de meio milhão de dólares, em compras suntuosas nas capitais do luxo. No entanto, apesar de Cláudia, como é conhecida na intimidade, gastar mais de meio milhão de dólares em futilidades, Moro viu nisso só inocência. Só vislumbrou boa fé. No caso de Maria Letícia, ao contrário, aceitou a denúncia ridícula que a acusa de lavagem de dinheiro por um triplex que ela nunca usou. Cláudia Cruz comprou, usou, consumiu, usufruiu, ostentou. Mas é inocente. Já no caso de Marisa, não comprou, não usou, não habitou – Mas havia elementos suficientes para que o juiz aceitasse a acusação.

    Leia mais em A Justiça de Moro – Cláudia Cruz, inocentada. Já Marisa Letícia, nem depois de morta


  • Doleiro preso por tráfico ajudaria Aécio na lavagem de propina, suspeita Lava Jato

    GNN Notícias

    Jornal GGN - No documento em que reforça o pedido de prisão contra Aécio Neves ao Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República Rodrigo Janot revela que além da empresa da família Perrela, um doleiro condenado por tráfico internacional de diamentes é suspeito de ajudar o senador mineiro na lavagem da propina que ele teria recebido da JBS.

    Nas investigações sobre o caso, a Polícia Federal flagrou o assessor parlamentar de Zezé Perrela, Mendherson Souza Lima, conversando de maneira cifrada com o doleiro Gaby Amine Toufic Madi, condenado a 7 anos de prisão em 2016.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 797 outros seguidores

  • Recomendo leitura

O Chico Zona Sul e o Velho Guandu

Por Rildo Ferreira

(Originalmente publicado do Blog do Rildo em 21/12/2007)

No nordeste chamam o Rio São Francisco de Velho Chico. O nosso Chico não é tão velho assim, aliás, tem uma aparência (e frequente) ótima na TV, não importa qual rede pertença. Este Chico (que é o deputadoChico Alencar-PSOL/RJ) eu o chamo de Chico Zona Sul. Um pequeno burguês com discurso revolucionário que às vezes nos soa mais como raivoso, rebelde, que revolucionário.

Eu o chamo de Chico Zona Sul pois este é o seu território circunscrito na cidade maravilhosa. Se conhece alguma coisa de outra região, deve ser aquelas que se avizinham a Zona Sul. Como a Zona Oeste no Rio de Janeiro é uma região muito populosa e que mereceu atenção especial nos últimos anos, pode ser que ele tenha visitado a região, não para conhece-la de fato, mas para dizer que lá esteve, embora essa ilação seja apenas uma teoria muito pessoal, já que não sigo os passos do deputado Rio/Brasília.

E o que o velho Guandu tem a ver com tudo isso? Que tem a ver o velho Chico nordestino com o Chico Zona Sul e com o velho Guandu? Ora, senhoras e senhores, o Chico Zona Sul apareceu ao lado do ator Osmar Prado e da atriz Letícia Sabatela , todos por detrás de uma faixa de “solidariedade” ao padreco chantagista que prefere a morte de milhares de sertanejos a dividir um pouco da água do velho Chico –que não confundam velho Chico com o Chico Zona Sul (Veja Vídeo TV-Câmara). A Hipocrisia do Chico Zona Sul é de fazer nascer cabelo na careca do Romário sem precisar de medicamentos que comprometam sua carreira por dopping. Logo o Chico Zona Sul, que por toda a sua vida bebeu água transpositada do velho Guandu e jamais se preocupou com água tratada para o povo da baixada fluminense, região onde está localizada a estação guandu de beneficiamento, tratamento e bombeamento de água para a capital Rio de Janeiro.

O velho Guandu é formado pelos rios Ribeirão das Lages; rio Piraí e Paraíba do Sul. É o mais importante do Estado considerando que ele é responsável pelo abastecimento de água para cerca de 85% dos domicílios da região metropolitana. Para a FEEMA

A ocupação urbana da bacia do rio Guandu, refletida pela tendência natural de expansão da Região Metropolitana para a Baixada Fluminense e Zona Oeste, contribui significativamente para a poluição do rio e seus afluentes, traduzidos, principalmente, pelos altos teores de coliformes fecais (termotolerantes) encontrados. … pode-se inferir, portanto, a vulnerabilidade do sistema ETA-Guandu, e a necessidade de vigilância constante sobre a qualidade de suas águas, que atue como um sistema de detecção tanto para os lançamentos contínuos, provenientes de atividades poluidoras, quanto para ocorrências episódicas decorrentes de poluição por acidentes nas rodovias e ferrovias que margeiam o rio (FEEMA,2007).”

Com efeito senhoras e senhores. O assunto do velho Chico está na TV. Logo, o Chico Zona Sul está lá para fazer coro com os que são contra a transposição. Mas o velho Guandu, doente e precisando de ajuda, não encontra eco nos discursos do deputado carioca. Logo ele que usufrui grandemente do velho Guandu. Para melhor esclarecer o nível da enfermidade do velho guandu, vou expor aqui fragmentos do artigo de Joerson Kelman* que diz

A vazão bombeada do Rio Paraíba do Sul para o Guandu, atualmente menor do que o normal equivale a mil litros por habitante, a cada dia. Muito mais do que seria necessário (grifo meu) para abastecer toda a população (cada um de nós consome, em média, cerca de 200 litros por dia). Isto é, o volume diário retirado do Paraíba é cerca de cinco vezes o que seria estritamente necessário. Enquanto isto, o estoque de água nos reservatórios localizados nas cabeceiras do Paraíba do Sul, em território paulista, está em cerca de 14% do volume máximo (estaria vazio, não fosse a ação preventiva) (ambientebrasil, 2007).”

Ele argumenta ainda que esse estoque poderia chegar a 8% com ausência das chuvas na região e que, devido ao aumento da poluição no velho guandu, será preciso aumentar o volume de água por meio da transposição do Paraíba do Sul para o Guandu para manter a mesma concentração de poluentes. Isso entretanto não acontece e o volume de água retirado do Paraíba do Sul diminuiu provocando um aumento na concentração de poluentes no rio Guandu

fazendo com que a CEDAE gastasse mais com produtos químicos (sulfato, cal e cloro) para limpar a água. Contudo, a situação está tão difícil que aágua do Guandu está perto de se tornar intratável. Portanto, poderá ocorrer racionamento não por falta de água, e sim porque ela está excessivamente suja. De onde vem tanta sujeira? Vem dos esgotos urbanos e industriais não tratados e do lixo carregado pelas chuvas para dentro dos cursos de água das bacias hidrográficas do Paraíba do Sul e do Guandu. A situação é particularmente crítica na Lagoa do Guandu, vizinha à Estação de Tratamento de Água operada pela CEDAE, onde ocorre grande proliferação de algas. Nesta lagoa desembocam os rios Dos Poços, Queimados e Ipiranga, que atravessam os municípios de Nova Iguaçu, Queimados e Japeri, carreando esgoto in natura e lixo, produzidos por 182 mil habitantes (idem).”

Vejam, senhoras e senhores. No Rio de Janeiro tem transposição de água do rio Paraíba do Sul para o velho Guandu, que por todos esses anos de vida (e não sei qual a idade do deputado) saciou a sede do Chico Zona Sul e de milhares de outros cariocas, possivelmente me incluo, e não houve um chiadinho só em benefício do velho Paraíba do Sul. O velho Guandu está, pelas palavras de Kelman, fadado a transformar-se num imenso esgotão a céu aberto e o deputado de gabinete não estende nenhuma faixa de solidariedade, de apelo pela revitalização do velho Guandu. Mas isso tem uma explicação: não há câmeras de TV por lá, nem padrecos fazendo greve de fome. Também não temos atores como Osmar Prado e atrizes como Letícia Sabatela (linda, admito) para chamarem a atenção em favor do nosso velho Guandu.

Esse assunto eu o trago em pauta para questionar o caráter oportunista do Chico Zona Sul em se tratando de transposição das águas do Rio São Francisco. Se o Chico do Rio pode beber água transpositada do Rio Paraíba do Sul para o Guandu, por que o Chico lá do sertão nordestino não pode beber água transpositada do velho Chico? O Chico Zona Sul é mais humano que o Chico nordestino do semi-árido? E se o velho Chico precisa ser revitalizado para atender as reclamações das populações ribeirinhas e merece manifestações, porque o velho Guandu não merece as mesmas atenções já que o fim é o mesmo? Será que os ribeirinhos de lá são mais humanos que a população carioca? O padreco tem um motivo: defende o próprio umbigo e outros fins ainda não conhecidos. Mas, o Chico?!!! Fora o fato de fazer disto um palanque particular, desconhece-se outro propósito. São questionáveis suas atitudes. Esta é a minha opinião.

(*) Jerson Kelman é Diretor-Presidente da Agência Nacional de Águas

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: