• Chegou a hora da verdade, golpistas

    No Blog da Cidadania

    Imagino que poucos tenham sido os que perderam tempo de sono assistindo à encenação barata levada a cabo no Senado da República na madrugada desta quinta-feira, 12 de maio de 2016. Este blogueiro não esteve entre esse bando de crédulos, por óbvio. Pouco importou o que disse este ou aquele senador. As cartas estavam marcadas.

    Não aconteceu nada de relevante no Plenário do Senado. Todos sabiam que nada havia a esperar. Nenhuma defesa de Dilma, por mais brilhante que fosse, mudaria o rumo das coisas. Nenhuma acusação que coonestasse o que lá ocorria veio nos salvar da confirmação de que a democracia estava sendo violentada com requintes de crueldade – pela capa torturante de “legalidade” (mal) estendida sobre o processo de impeachment de Dilma Vana Rousseff.

    O impeachment, pode-se dizer, ocorreu sob amplo constrangimento dos seus autores, dos seus executores e da assistência no entorno.

    Leia mais em Gestão Dória será investigada por cárcere privado de servidores


  • A Justiça de Moro – Cláudia Cruz, inocentada. Já Marisa Letícia, nem depois de morta.

    O Cafezinho

    Por Bojonas Teixeira Marisa Letícia, submetida ao estresse extremo, sofreu um AVC e morreu. Os médicos são unânimes em que o ambiente de pressão, de perseguição e linchamento foi causa decisiva para essa morte. Mas, mesmo assim, Sérgio Moro não a absolveu. Os advogados pediram a absolvição dela após a morte. Mas ele não aceitou. Apenas decretou a “extinção da punibilidade”. Ou seja, manteve um espinho cravado sobre a alma dela, mesmo depois de morta. Perseguindo-a, com as fúrias da lei, mesmo no outro mundo. Mas e Claudia Cruz? Cláudia, foi absolvida.

    Marisa Letícia nunca teve conta na Suíça, não fez gastos de US$ 526 mil no cartão de crédito, ou seja, mais de meio milhão de dólares, em compras suntuosas nas capitais do luxo. No entanto, apesar de Cláudia, como é conhecida na intimidade, gastar mais de meio milhão de dólares em futilidades, Moro viu nisso só inocência. Só vislumbrou boa fé. No caso de Maria Letícia, ao contrário, aceitou a denúncia ridícula que a acusa de lavagem de dinheiro por um triplex que ela nunca usou. Cláudia Cruz comprou, usou, consumiu, usufruiu, ostentou. Mas é inocente. Já no caso de Marisa, não comprou, não usou, não habitou – Mas havia elementos suficientes para que o juiz aceitasse a acusação.

    Leia mais em A Justiça de Moro – Cláudia Cruz, inocentada. Já Marisa Letícia, nem depois de morta


  • Doleiro preso por tráfico ajudaria Aécio na lavagem de propina, suspeita Lava Jato

    GNN Notícias

    Jornal GGN - No documento em que reforça o pedido de prisão contra Aécio Neves ao Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República Rodrigo Janot revela que além da empresa da família Perrela, um doleiro condenado por tráfico internacional de diamentes é suspeito de ajudar o senador mineiro na lavagem da propina que ele teria recebido da JBS.

    Nas investigações sobre o caso, a Polícia Federal flagrou o assessor parlamentar de Zezé Perrela, Mendherson Souza Lima, conversando de maneira cifrada com o doleiro Gaby Amine Toufic Madi, condenado a 7 anos de prisão em 2016.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 797 outros seguidores

  • Recomendo leitura

As eleições municipais: promessa de um vazio ideológico

Comentário para a rádio Novos Rumos em 20 de abril de 2012, 12:25h.

Por Rildo Ferreira

Bom tarde Dine Estela, Luis Alonso, Felipe, Leandro e amigos da Novos Rumos.

Praça Nossa Senhora da Conceição: Centro da Cidade.

Neste dia de sexta feira, 20 de abril, nesta tarde adorável, ainda temos amigos para serem lembrados: Nossa querida amiga Simone, a moninha, e sua irmã Alba Valéria. Ambas já deram grandes contribuições nesta emissora. E para quem já esqueceu, quero relembrar os comunicadores Luis Antonio Bap, Antonio Silva e um companheiro que foi por muito tempo uma das principais vozes dos nossos comerciais, nosso querido amigo Washigton, hoje jornalista formado e em caminhos desconhecidos. Falei dele, quero fazer uma homenagem póstuma ao saudoso Mazaropi, ele fazia o único programa de humor sertanejo abrindo a programação do dia nesta rádio. Para todos eles e todas elas, o meu beijo carinhoso de muita saudade.

Dine Estela, temo que este ano a eleição municipal seja de um vazio ideológico absoluto porque não teremos debates, aliás, sequer teremos disputa. Vejamos: Max é o atual prefeito e candidato a reeleição. Além dele, quem mais pode apresentar um pensamento original sobre como governar Queimados? Ora, temos o candidato Rogério do Salão que já foi prefeito e não conseguiu se reeleger quando disputou a reeleição. Como pode um candidato que tem a máquina administrativa na mão, todas as possibilidades de atender as necessidades mais elementares da sociedade não conseguir convencer o povo de que poderia fazer melhor do que fez nos três anos e 7 meses em que governou antes daquele processo eleitoral? O que aconteceu para que o povo de Queimados dissesse não, ao então prefeito Rogério do Salão?

Dr. Jorge foi o primeiro prefeito de Queimados. Foi um governo traumático e que pesou sobre ele muitas denúncias de corrupção e desvio de dinheiro público. Quase tivemos já naquele primeiro governo uma CPI para investigar denúncias de superfaturamento dos preços para as obras públicas. A coisa só não foi adiante porque a Câmara Municipal não soube conduzir o processo e o principal articulador da CPI, o vereador Geraldão, resolveu que abortaria a CPI se lhes dessem 25 mil reais. Ao fim e ao cabo, era um corrupto acusando o outro de corrupção e tudo ficou por ser provado. Agora, Dr. Jorge provavelmente será candidato a vereador.

O seu sucessor, o ex-prefeito Azair Ramos, conseguiu resgatar um pouco da autoestima dos queimadenses fazendo um governo de obras. A atual praça dos Eucalíptos, a escola Metodista e o posto do Fanchen, que durante o seu governo funcionava 24 horas, marcaram um governo desenvolvimentista. Azair foi reeleito e deixou o governo com aprovação da população de Queimados. Mas Azair pode ser também candidato a vereador.

Como já dissemos, Rogério foi um desastre administrativo e isso fez ele ser rejeitado pela população não conseguindo se reeleger, transferindo para Max Lemos, o dever de resgatar o brilho no olhar das pessoas que constroem esta cidade.

Zaqueu Teixeira que foi muito bem no processo eleitoral de 2004, elegeu-se deputado em 2006 e, o que se nota, também não será candidato este ano e o PT, único partido que poderia fazer um debate ideologizado com o prefeito Max, deverá lançar Marcia Teixeira, esposa do deputado Zaqueu, candidata a vice prefeita na chapa com Max Lemos se o PMDB assim aceitar.

Ora, pelo quadro que se apresenta nós teremos uma campanha com as atenções voltadas para uma só candidatura o que não é bom. É bom para o candidato, mas não para a sociedade porque não discutiremos a cidade como a cidade deve ser. Esta semana mesmo ouvi de um Secretário de governo dizer que o que ele fazia ainda não estava de acordo com o que ele desejava. Então me perguntei e faço a pergunta para todos e todas: a cidade não deveria ser desenvolvida segundo o pensamento da sua gente?

O outro possível candidato é um desconhecido e pode ser candidato pelo PSOL. Não o conheço pessoalmente e não se conhece o histórico dele. Logo, teremos que aguardar para conhecer as ideias e os projetos políticos do candidato Devanir, do Psol.

Convenhamos: se os possíveis adversários não demonstram capacidade dialógica, ilação construída pelo contexto histórico político de Queimados, este processo parece-nos um jogo de cartas marcadas e na minha modesta opinião, um governo precisa sentir-se permanentemente ameaçado a fim de não se afastar das reais necessidades do seu povo.

Da Câmara Municipal não se deve esperar muita coisa. Historicamente nossos parlamentares são eleitos por favores prestados aos seus eleitores, ontem tivemos uma ouvinte pedindo a presença de um vereador na Unidade de Pronto Atendimento para ajudar os necessitados como se isso fosse papel do vereador. Ora, quando o parlamentar se presta a esta função ele deixa de fazer a outra que é a de fiscalizar e atuar sobre o executivo para fazer a coisa funcionar como deve.

Não esperemos mudanças significativas na Câmara. Se acontecer, deve ficar na casa dos 30% o que é pouco. A meu ver o partido que pode surpreender nesta cidade e em outras da baixada fluminense é o PR. O PT tem a possibilidade de dobrar sua representação e não mais que isso. O Democratas e o PSDB não deverão ser afetados pela crise que vivem nacionalmente, mas não devem trazer novidades e nem representar ameaça aos demais. O PMDB, por sua vez, deverá manter-se como partido com maior representação na casa Legislativa. O PDT sente a ausência de uma figura de amplitude nacional embora o deputado Brizola Neto vem empreendendo esforços para assumir o posto que o avô deixou, mas isto não é suficiente para influenciar nas eleições em Queimados.

Naturalmente, e com a aproximação do processo eleitoral, vamos conhecer melhor os candidatos e realizar debates mais esclarecedores. Mas sinto, definitivamente, que esta eleição será marcada por um vazio ideológico.

Tenham todos um excelente final se semana!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: