• Chegou a hora da verdade, golpistas

    No Blog da Cidadania

    Imagino que poucos tenham sido os que perderam tempo de sono assistindo à encenação barata levada a cabo no Senado da República na madrugada desta quinta-feira, 12 de maio de 2016. Este blogueiro não esteve entre esse bando de crédulos, por óbvio. Pouco importou o que disse este ou aquele senador. As cartas estavam marcadas.

    Não aconteceu nada de relevante no Plenário do Senado. Todos sabiam que nada havia a esperar. Nenhuma defesa de Dilma, por mais brilhante que fosse, mudaria o rumo das coisas. Nenhuma acusação que coonestasse o que lá ocorria veio nos salvar da confirmação de que a democracia estava sendo violentada com requintes de crueldade – pela capa torturante de “legalidade” (mal) estendida sobre o processo de impeachment de Dilma Vana Rousseff.

    O impeachment, pode-se dizer, ocorreu sob amplo constrangimento dos seus autores, dos seus executores e da assistência no entorno.

    Leia mais em Gestão Dória será investigada por cárcere privado de servidores


  • A Justiça de Moro – Cláudia Cruz, inocentada. Já Marisa Letícia, nem depois de morta.

    O Cafezinho

    Por Bojonas Teixeira Marisa Letícia, submetida ao estresse extremo, sofreu um AVC e morreu. Os médicos são unânimes em que o ambiente de pressão, de perseguição e linchamento foi causa decisiva para essa morte. Mas, mesmo assim, Sérgio Moro não a absolveu. Os advogados pediram a absolvição dela após a morte. Mas ele não aceitou. Apenas decretou a “extinção da punibilidade”. Ou seja, manteve um espinho cravado sobre a alma dela, mesmo depois de morta. Perseguindo-a, com as fúrias da lei, mesmo no outro mundo. Mas e Claudia Cruz? Cláudia, foi absolvida.

    Marisa Letícia nunca teve conta na Suíça, não fez gastos de US$ 526 mil no cartão de crédito, ou seja, mais de meio milhão de dólares, em compras suntuosas nas capitais do luxo. No entanto, apesar de Cláudia, como é conhecida na intimidade, gastar mais de meio milhão de dólares em futilidades, Moro viu nisso só inocência. Só vislumbrou boa fé. No caso de Maria Letícia, ao contrário, aceitou a denúncia ridícula que a acusa de lavagem de dinheiro por um triplex que ela nunca usou. Cláudia Cruz comprou, usou, consumiu, usufruiu, ostentou. Mas é inocente. Já no caso de Marisa, não comprou, não usou, não habitou – Mas havia elementos suficientes para que o juiz aceitasse a acusação.

    Leia mais em A Justiça de Moro – Cláudia Cruz, inocentada. Já Marisa Letícia, nem depois de morta


  • Doleiro preso por tráfico ajudaria Aécio na lavagem de propina, suspeita Lava Jato

    GNN Notícias

    Jornal GGN - No documento em que reforça o pedido de prisão contra Aécio Neves ao Supremo Tribunal Federal, o procurador-geral da República Rodrigo Janot revela que além da empresa da família Perrela, um doleiro condenado por tráfico internacional de diamentes é suspeito de ajudar o senador mineiro na lavagem da propina que ele teria recebido da JBS.

    Nas investigações sobre o caso, a Polícia Federal flagrou o assessor parlamentar de Zezé Perrela, Mendherson Souza Lima, conversando de maneira cifrada com o doleiro Gaby Amine Toufic Madi, condenado a 7 anos de prisão em 2016.

    Clique para continuar a ler.


  • Coloque seu e-mail para receber novidades e notificações do Blog.

    Junte-se a 792 outros seguidores

  • Recomendo leitura

O STF está sendo chantageado?

O STF está sendo chantageado?

Escrito originalmente em 25 setembro de 2012.

Eu não queria escrever sobre o STF, mas não aguentei.

Observando o comportamento da mídia e dos ministros do STF, especialmente do ministro Joaquim Barbosa, comecei a imaginar que esta instância judiciária está sendo chantageada. Essa  história começa lá em 2010 quando o ministro Joaquim Barbosa teve um “pega-pra-capar” com a velha mídia:

De licença médica, Joaquim Barbosa vai a festa de amigos e a bar em Brasília

Afastado desde abril do trabalho, ministro do STF deve somar 127 dias de licença neste ano

Mariângela Gallucci

BRASÍLIA – O ministro do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa, que está de licença por recomendação médica, alegando que tem um “problema crônico na coluna” e, por isso, enfrenta dificuldade para despachar e estar presente aos julgamentos no plenário do STF, não tem problemas para marcar presença em festas de amigos ou se encontrar com eles em um conhecido restaurante-bar de Brasília (Estadão, 2010).

Essa história rendeu e a imprensa não largou o pé do ministro. É bom lembrar que nesta época o ministro contrariava os interesses da velha mídia e do grupo ligado ao PSDB paulista.

Depois a Polícia Federal desbaratou a maior quadrilha de criminosos do Brasil envolvendo políticos, bandidos, jornalistas, procuradores e juízes. A velha mídia envolvida até o pescoço começou a se sentir ameaçada e seus colunistas começaram uma ardilosa campanha para desqualificar as provas e a tentativa do Congresso Nacional de criar uma CPMI para investigar os arautos defensores e aliados da velha mídia.

No meio desse imbróglio todo apareceu uma personagem interessante: a mulher do Cachoeira. E não é que a bonitinha resolveu chantagear mais um juiz para tentar levar vantagens?!

Juiz afirma que mulher de Cachoeira tentou chantagem para soltar bicheiro

Magistrado diz que mulher de contraventor teria dossiê com fotos contra ele. Andressa Mendonça presta esclarecimento na manhã desta segunda na PF.
Versanna Carvalho

O juiz federal Alderico Rocha Santos afirmou ao G1 nesta segunda-feira (30) ter sido chantageado por Andressa Mendonça, mulher do contraventor Carlos Augusto de Almeida Ramos, o Carlinhos Cachoeira.

Santos é responsável pelo processo da Operação Monte Carlo na Justiça Federal, que culminou na prisão do bicheiro em fevereiro.

Segundo o magistrado, Andressa o procurou na quinta-feira (26) afirmando que teria um dossiê contra ele e, em troca da não-publicação, teria pedido um alvará de soltura para Cachoeira (G1, 2012).

Então começou o julgamento do mensalão. Provas? Não. O STF decidiu que não existe mais a “presunção da inocência” e atribuiu o ônus da prova ao acusado, não aos acusadores. O ministro Joaquim Barbosa, de má fé, posso concluir, pegou um episódio fora do contexto para fundamentar seus devaneios jurídicos e envolveu a presidenta Dilma quando então ministra da Casa Civil.

 Joaquim Barbosa usa depoimento de Dilma em 2009

Presidente se disse surpresa com aprovação rápida de marco regulatório do setor elétrico

EVANDRO ÉBOLI

BRASÍLIA – Para condenar os deputados da base aliada e tentar reforçar as provas de compra de votos, o relator do mensalão, Joaquim Barbosa, recorreu a depoimento prestado pela hoje presidente Dilma Rousseff. À Justiça, em outubro de 2009, Dilma, então chefe da Casa Civil, se disse surpresa com a rapidez da aprovação do marco regulatório do setor elétrico no Congresso (O Globo, 2012).

Esse fato obrigou o Planalto a emitir uma nota (Leia Aqui) desmentindo o ministro Barbosa.

É interessante ver que pau-que-da-em-chico-vira-pena-quando-é-em-francisco. A mesma PGR que ignorou a falta de provas para denunciar os personagens petistas no episódio conhecido como mensalão, ignorou a confissão do ator Global Stephan Nercessian (PPS-RJ) e pediu arquivamento do processo contra ele no caso CachoeiraGate.

Gurgel manda arquivar inquérito contra Stepan Nercessian

Parecer enviado na última sexta-feira pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel, ao Supremo Tribunal Federal recomenda o arquivamento de inquérito contra o deputado Stepan Nercessian (PPS-RJ).

O parlamentar recebeu, em 2011, R$ 175 mil do contraventor Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira, preso pela Polícia Federal, no dia 29 de fevereiro. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Dizendo ser amigo há mais de 20 anos do bicheiro, Nercessian explicou que R$ 160 mil se referiam a um empréstimo, já saldado, para a compra  de um apartamento (Jornal do Brasil, 2012).

O comportamento da velha mídia, os sorrisos irônicos de Joaquim Barbosa ao proferir o seu julgamento aos personagens do mensalão e outros episódios que tem relação amiúde com todo o processo me deixa com essa brutal dúvida: estaria o STF sendo chantageado? Se sim, por qual motivo? Será que a velha mídia tem dossiês contra os magistrados do STF? O que diabos afinal está acontecendo com o judiciário brasileiro? O fato é que já tem gente dizendo que o PSDB deveria convidar o ministro para ser candidato a presidente em 2014. Qual a relação disso com o que vem acontecendo no STF? Um doce e minha gratidão por quem responder.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: